14 de novembro de 2011

A Irmandade da Adaga Negra # livro VII.

Amante Vingado -  J.R Ward.

Nas sombras da noite de Caldwell, Nova York, desenvolve-se uma furiosa guerra entre os vampiros e os seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. Enquanto eles defendem a raça dos redutores, a lealdade de um vampiro especial será posta a prova – e sua perigosa natureza será revelada…
Rehvenge sempre manteve distância da Irmandade, pois guarda um letal segredo que poderia fazer dele uma arma na guerra contra os redutores. E enquanto as conspirações dentro e fora da Irmandade ameaçam revelar a verdade sobre o ele, Rehv se aproximará da única luz que clareia seu mundo de escuridão e jogos de poder, Ehlena, uma vampira que nunca conheceu a corrupção e traição… é a única que pode salvá-lo da destruição eterna.

Nota Pessoal.

Será que alguém além de mim sentiu que Rehv e Ehlena foram os personagens terciários da história?
Que o livro não se concentrou somente na estória deles e sim, foram fragmentos das histórias passadas e futuras?

O livro é bom?  --- Sim, com certeza é, mas acho que a partir de Amante Consagrado J.R acabou perdendo um pouco do ''foco'' afinal se em cada livro ele conta a estória de um dos ''irmãos'' será que tinha necessidade dela ficar falando mais da metade de 720 páginas de John e Wrath?
Não pelo rei cego que acho super legal a gente saber o que houve depois que ele finalmente encontrou sua rainha, mas será que precisava estender tanto a estória de John? já que a sequência da série é livro é o dele (não estou contando o Guia oficial), meio que fica até sem graça sabermos praticamente tudo que vai acontecer, passado e presente dele, seria bom ver no livro deles.
Mas vamos ao meu querido Rehv, ele é TUDO!!!!!!!!
Eu antipatizava com aquela estória dele ser cafetão e senhor das drogas, mas ao conhecer o real e macabro segredo que ele sempre protegeu entendi o motivo de tudo aquilo, é um macho de muito valor (que lindo!!!) e ama poucas pessoas, mas com certeza quando o faz ele não mede esforços para que os ''seus'' estejam a salvo, e quando Ehlena entra em sua vida, ele que nunca acreditou que teria o direito de viver como um macho normal finalmente vê uma luz no fim do túnel, são muito parecidos, solitários, carregam muitos ''pesos' sob os ombros e querem apenas um pouco de felicidade.
Ehlena têm de lidar com a esquizofrenia do pai, com a pobreza e com sua solidão, foi rechaçada pela glymera por um mal passo do passado, seu emprego como enfermeira é uma das coisas que ela mais gosta de fazer, é lá que encontra com Rehv que está a procura da dopamina (a medicação que inibi seu lado sympatho) Ehlena não se sente à vontade logo de início na presença dele, pois sabe que há algo nesse ''macho'' que mexer com seus sentidos e com Rehv não é diferente (meio que ele vai ao hospital para que ela cuide dele) kkkkk.

   --- Deixo as fêmeas nervosas. Não é culpa dela.  

O relacionamento começa mesmo com Rehv não querendo (mas ele quer, entenderam? kkkkkk), se cria uma ligação muito fofa entre eles, conversas que acontecem por telefone são super, hiper, HOT's (srsrs) adorei.
Rehv têm medo que a sua condição de sympatho seja descoberta e acabe prejudicando Ehlena e seus entes queridos, por conta disso aceita a chantagem da ''princesa'' e acaba se tornando algo que ele tem despreza mais que tudo (coitado, sofre muito) e se sacrifica muito também.

Não gostei do que aconteceu com Wrath, fiquei super triste, mas espero que no futuro algo mude na sua situação (adoro ele) kkkk.

                   Ele pegou a mão dela e a colocou sobre o coração.                          
                            --- Não sou nada sem você.                                 
                                        by Wrath.                                     

Payne, a irmã de V. aparece também, mas pouco, a participação da virgem escriba também é muito menor se compararmos aos livros anteriores.
Uma coisa que não gostei foi esse relacionamento meio ''homo'' de Blay e Qhuinn (que parece que vai evoluir, se é que vocês me entendem), eu vou ser bem sincera, não gosto disso e me pergunto: Como ela coloca esses ''machos alfa'' que exalam masculinidade por todos os poros gays?? não gostei, e quando a ''coisa'' partir para esse lado, deixo a irmandade de mão, isso detrói todas as minhas ilusões de vampiros ''machos'' kkkk.

Então em um contexto geral, é uma ótima leitura, apesar dos ''pontos'' que já assinalei, e o final também poderia ser mais longo, e falar menos dos ''redutores'' (sempre detesto a parte deles) kkkkk.

Nota: 09.
 Capa original.

Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Oi Faby!

    Eu li esse livro, e gostei muito do macho alfa: Revh.

    Mesmo que pareça que eles não são os personagens centrais desse livro kkkkkkkk

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não li o livro do Revh mas também não gostei nada desse lado homo da irmandade. Não da pra ser macho ao mesmo tempo homo, minha opniao, espero que não estrague o livro. E eu amo o warth *.*

    ResponderExcluir
  3. Franciane Flôres14/11/2011 11:53

    Eu ainda não li nada de IAN... Mas estou começando a sentir a necessidade de ler com certa urgência. Já comecei a dar uma olhada nos preços pq é um fato q vou comprar esses livros.

    ResponderExcluir
  4. Faby querida, vc vai me deixar mais doida do que eu já sou, estou no segundo e ficando louca p chegar ao terceiro, ao querto...kkkkk, ai meu Deus amiga, nem sei qual deles é o melhor. beijosss, adorei a resenha e fiquei com mais vontade de ler...
    Ca
    http://mromances.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Faby.

    Adoro os IAN. Ainda estou no livro do V., mas ansiosa para conferir os próximos.

    Também torci o nariz quando vi esse lado sombrio do Rehv ser cafetão e traficante, nos livros anteriores. Fiquei aliviada em saber que isso mudará e saberei o por que desse drama todo.

    Ai, meu Deus! O que aconteceu com o Wrath? Amiga, quer me matar do coração?! rs.

    Vamos entrar p/ o clube, porque também detesto a parte dos redutores, mas sou obrigada a ler, porque é imprescindível na história. rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Eu adorei!!! e acho lindo que ela apresente esse lado da irmandade...não é pq ele são gays que vão deixar de ser guerreiros !!!! fora mentes pequenas.

    ResponderExcluir
  7. Vixi Faby... pelo que eu soube, é bom você manter a cabeça bem aberta, pois o romance entre o B e o Q vai rolar sim...
    Eu sinceramente não me sinto incomodada, me contento só com o Rhage e o Rehv que são de longe os meus preferidos...
    Também acho que a situação do W. é irreversível, mas ao contrário de você, eu gostei bastante do desfecho... foi legal ver a crise no relacionamento dos dois...
    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir