30 de novembro de 2011

Saiu da Pilha # nº 108

Apenas Respire - Susan Wiggs 
Harlequin Books
A cartunista Sarah Moon dribla os problemas da vida real em sua tirinha Apenas respire. Enquanto Shirl, personagem principal e alter ego de Sarah, se submete ao tratamento de inseminação artificial, a situação por ela vivida começa a refletir as dificuldades de sua criadora para conceber um bebê.
 Em Apenas respire, Susan Wiggs, autora best seller do The New York Times,  presenteia os leitores com uma narrativa inspiradora e escrita com o coração sobre os sonhos despedaçados de uma mulher e a descoberta de novas esperanças.

"Nota Pessoal"
Sarah teve a maior decepção da sua vida, seu casamento que passou por tantos momentos difíceis por conta da doença de seu marido Jack tomou um rumo que ela jamais imaginou, a separação foi inevitável, mas ela não acreditava que toda a sua dedicação e amor foram atirados pela janela sem qualquer consideração, sim, pois Jack mostrou que não valia nada (que raiva dele) achei que eles voltariam, confesso, pois Jack era o sonho de consumo de toda mulher, mas Sarah foi implacável (graças a Deus)  e não o aceitou (verão porque) e ele é claro que não merece outra chance, pois sinceramente o que ele fez foi imperdoável.
Mudança, uma palavra que causa medo quando temos uma vida que estamos acostumadas não acham? e nem todo mundo sabe aceitar bem alterações em seu cotidiano, mas Sarah vê que é justamente isso que ela precisa, mudar, ou melhor, voltar a ser quem ela sempre foi e que melhor lugar para isso do que no seu antigo lar, ela volta para a casa e lá se depara com o seu elemento, algo de que ela fugiu (ela mesma), mas é o que ela sempre precisou, antes vista como a estranha da escola que zombava de todos com suas tirinhas cheios de sarcasmo, hoje uma mulher de relativo sucesso e que precisa de ajuda (adoro as cidades pequenas por conta disso, todos se unem para ajudar quando alguém precisa) e Sarah precisa muito, pois além de uma divórcio a caminho ela se descobre grávida, finalmente realizou seu grande desejo, ser mãe, mas ela nunca se imaginou só neste momento, aí que entra Will, o ex astro da escola que Sarah sempre teve uma paixão secreta, Will hoje capitão dos bombeiros e pai solteiro se vê às voltas com Aurora sua enteada (filha) adolescente que já não é tão meiga e fofa quando criança, agora uma moça com opiniões próprias e voluntariosa, que morre de ciúmes do pai e quer que ele volte a morar com sua mãe (uma louca que deixou ambos para viver sob as luzes de Las Vegas, mas não passa de uma viciada e bêbada).
Ou seja, cada um com seus esqueletos no armário para lidar, uma relação que se desenvolve aos poucos, a amizade floresce, o sentimento amadurece, mas cada um pensa em seus filhos e se o que sentem é realmente amor ou somente carência, necessidade de ter alguém por perto, um colo para chorar, um recanto seguro em que possam desabafar todas as suas angustias, perguntas que logo vão encontrar suas respostas.
O livro em si não tem tanto romance (propriamente dito) mas queria me apaixonar desta forma, esperar ver se o que sentem é mesmo de verdade sabe, não estar imaginando que é somente atração ou a necessidade de ter alguém, mas um sentimento verdadeiro que explode no coração, como é o caso deles, a necessidade de cuidar que temos quando realmente gostamos de alguém, como Will que sente que precisa cuidar tanto de Sarah (e seus filhos) quanto de Aurora, que é a vida dele, o amor que ele sente pela filha também é digno de nota, impossível não se apaixonar por um homem que larga sua vida promissora para cuidar da filha de outro homem e de uma mulher completamente desiquilibrada, um homem que que está sempre ali pronto para te salvar de qualquer incêndio (falei que ele é bombeiro) kkkkk.
Achei Will um dos melhores mocinhos que li esse ano, abnegado mas sem sem ''tapado'' entendem, ama e ama mesmo, decidido, forte, lindo, incapaz de ferir alguém, o que acaba conquistando de forma definitiva Sarah que antes relutava muito em se entregar a esse novo amor, pois acreditava que sua situação com o ex marido não estava finalizada, mas depois percebe que a tempos sem casamento tinha terminado, só que ela não tinha percebido, tão concentrada que estava em ter um filho, talvez até para salvar seu casamento.
Amantes de uma boa leitura, recomendo, o que aconteceu com Sarah já aconteceu comigo e posso dizer que me identifiquei com ela em várias situações, na cobrança de si mesma pelo fim do relacionamento (já perceberam que o culpado sempre quer colocar a culpa no outro??) e por achar que você poderia fazer diferente, mas a verdade é que as coisas são como elas são e nada vai mudar isso, mesmo que naquele momento você tenha tido a opção de fazer diferente as coisas acontecem como têm de acontecer, mas a verdade é que quando se ama de verdade você não faz nada para machucar o outro e se faz é porque o que sente não é de verdade, acredito que o amor é isso, entrega, verdade, um sentimento nobre e puro como o de Will e Sarah que supera todas as adversidades, que estão juntos em todos os momentos, dividem todas as angustias, alegrias e felicidades.

 Nota: 09.
PS: adorei a cena do livro sendo reproduzido na capa.